A Culpa é do Empreendedor Mineiro?

22 jan 2018

CHINA

Que tal se você apenas com um toque ou uma palavra mágica no seu smartphone pudesse materializar aquilo que precisa?
E mais, pense em uma ajuda, caso tenha dúvidas sobre o que precisa, valores e onde encontrar. A tecnologia já é presente! Futuro é o seu uso em larga escala… Pela primeira vez, já temos a tecnologia com custo acessível. Contudo, falta a cultura, não dos consumidores, mas sim dos empreendedores.

O Lig-China e alguns outros pioneiros trouxeram, anos atrás, para Belo Horizonte um novo conceito, bem conhecido no exterior, principalmente nos Estados Unidos, a entrega de comida chinesa. Mais do que entregar, a empresa trouxe o conceito da caixinha inteligente, que era de fácil estocagem, ideal para transporte, mantinha a comida quente, além da facilidade de montagem e de manuseio por parte do cliente.

O suporte tecnológico veio com ideias que inovavam o negócio, como cadastro de clientes, sendo localizados rapidamente pelo seu número telefônico, que aparecia na BINA e, além disto, apresentava um histórico de pedidos dos clientes, com a finalidade de fazer com que o atendente o auxiliasse com os pratos, que ainda era novidade na capital mineira.

O modelo foi se desenvolvendo, passando para sites de delivery e, no passado recente, aplicativos. Contudo, embora seja acessível a qualquer tempo em qualquer lugar, ele continua com um sério problema de marketing a ser resolvido: a alta granularidade de oferta. Para cada negócio, você tem que baixar pelo menos um App por segmento. O iFood é um bom exemplo de app agregrador para pedir comida,  contudo existem segmentos que não tem a mesma característica, o que obriga o consumidor a pesquisar, confiar e baixar aplicativos diretamente de cada estabelecimento para efetuar os negócios.

O que falta é que os empreendedores entendam como transformar essa realidade e convertê-la em vendas. A primeira coisa é entender como isso afeta seu consumidor. A computação móvel deve ser vista como algo que vai se ligar simbioticamente com seu usuário.

O que precisamos, é de imaginação e criatividade, para colocarmos a tecnologia ao alcance do seu negócio. Um florista, por exemplo, já pode ter um algoritmo inteligente que o auxilie a expor seu negócio junto ao Google Cloud, que expandirá as possibilidades de negócio, além de colocá-lo “diluído” na plataforma Android. Ao solicitar flores, o algoritmo pode auxiliar o cliente a encontrá-lo, além de direcioná-lo para as melhores ofertas, bem como fazer integrações com meios de pagamento e entrega.

Não se trata mais de apenas ter uma central para onde ligar, que demandaria uma boa verba para se fazer conhecida, mas de entrar organicamente nas principais extensões tecnológicas que já temos hoje. O mais interessante disto tudo, é que à medida que a tecnologia se desenvolve, mais barata e acessível ela fica para pequenos e médios negócios. É muito mais que poder estar acessível, é estar unido ao seu cliente.

Não há dúvidas de que esse é o caminho para aplicações.  Você está preparado? Se não, prepare-se, pois seus consumidores já estão!

Alexandre “Montanha” de Oliveira
Diretor de Fábrica de Software da Mobilus Tecnologia

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *