Gestão da Informação Corporativa

A Gestão da Informação (GI) pode ser definida no contexto corporativo como um processo relacionado com a geração, recebimento, tratamento, recuperação, disseminação e guarda de todas as informações e conhecimentos necessários para suportar os processos e atividades de uma organização.

Este processo é responsável por gerir tanto os recursos internos, quanto os externos à empresa, facilitando a análise de tendências, resolução de problemas complexos e melhoria de processos intensivos em informação.

A GI passou a ser considerada um processo essencial, como qualquer outro desenvolvido nas organizações. No entanto, apesar das organizações terem a noção da importância desse processo para a obtenção de informação estratégica e para a tomada de decisão, encontramos diferentes níveis de maturidade nos diversos setores de uma mesma organização. Se por um lado, existem setores mais modernos onde a GI e as tecnologias para a transformação digital fazem parte de seu DNA, por outro existem departamentos onde as pilhas de papéis e a burocracia ainda são uma triste realidade.

Ao avaliar os projetos de GI nas organizações é possível observar que a maioria das empresas analisadas realizam investimentos de modo departamental, sem nenhuma estratégia ou política corporativa. Apesar de existirem Iniciativas departamentais bem-sucedidas, a realização das ações de GI de forma isolada pode aumentar os custos para a toda a empresa, bem como dificultar o compartilhamento das informações entre as áreas.

Quando as iniciativas e esforços de GI são unificados de modo a privilegiar uma abordagem corporativa e global, os ganhos são muito superiores. Ao criar políticas de gestão da informação corporativa e definir as estratégias de implantação com foco no negócio da empresa, ainda que os projetos sejam realizados de forma gradativa é possível obter ganhos em escala.

Através de uma abordagem corporativa, todas as aquisições de softwares, serviços, bem como as ações de curto, médio e longo prazo são definidas e planejadas para garantir a gestão eficiente de documentos e informações, redução de custos e maximização dos recursos disponíveis.

Existem muitos desafios a serem superados, principalmente no que se refere ao compartilhamento das informações e do gerenciamento da informação de modo corporativo.

Através da implantação da GI de modo corporativo, a organização tem a oportunidade de tornar-se uma inovadora em relação aos seus processos, uma vez que a gestão de seus ativos informacionais não será mais um obstáculo operacional. Deste modo, a empresa conseguirá executar suas atividades de forma eficiente e integrada, criando um ambiente favorável a colaboração e compartilhamento de conhecimento, o que certamente irá refletir em sua competitividade de mercado.

O apoio de uma empresa especializada em GI e Conhecimento pode certamente contribuir para uma maior assertividade na elaboração de um prévio Diagnóstico Situacional da empresa, expondo através de metodologias específicas em gestão, os pontos possíveis de melhorias que impactam diretamente no negócio da empresa e através de um Plano de Ação corporativo, complementar ao Diagnóstico Situacional, seriam elencadas as prioridades de ações a serem implementadas e seus respectivos ROI´s.

O maior ativo de uma empresa certamente são o conhecimento e a informação implícitos no negócio. Ao gerir e reter com eficiência as informações que tramitam por sua empresa, assegura-se eficiência, qualidade e lucratividade.

Claudiane E. Nazário

COO

Gamarra Tec – www.gamarratecnologia.com.br

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Este post tem um comentário

  1. Avatar

    Essa é objetivamente a razão de se dar a devida importância à área de GI. Alcance de resultados em eficiência e mitigação dos riscos de perdas. Parabéns Claudiane pela esplanacão.

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas

Fechar Menu