Mas o comportamento muda mesmo? É possível melhorar?

18 out 2017

 

comportamento humano

 

– Mas o comportamento muda mesmo?

– A gente já não nasce pronto? Com uma personalidade definida?

– Como mudar hábitos “velhos”? Que já não são mais úteis?

Essas, e um monte de outras perguntas relacionadas com o comportamento humano, me foram feitas pelo presidente de uma empresa assim que começamos nossa reunião.

– Bom, vamos por partes. Eu lhe disse. Acredito que o melhor caminho é você mesmo raciocinar e chegar a suas próprias conclusões. Não precisa acreditar em mim. Eu vou fazer apenas algumas perguntas para que possamos raciocinar juntos:

 

– Se os seus comportamentos não se modificassem ao longo da vida, desde o dia de seu nascimento, como você estaria agora? Com essa sua idade?

É muito difícil imaginar isso, porque nosso corpo biológico cresce. Nascemos com aproximadamente 30 ou 50 centímetros e agora temos 1,70 metros, e com ele o nosso cérebro também cresce! Proporcionando ao longo da vida milhões de possibilidades de conduta.

– Vamos imaginar que nosso cérebro não crescesse e permanecesse com o mesmo conjunto de atividades, em sua maioria instintiva, para manutenção da vida biológica, como você seria?

– Bem… Acho que seríamos um animal como todos os outros, vivendo no mato, comendo grama e pelado. Acho que não conseguiríamos ter inventado tudo o que temos de conforto. Respondeu o presidente

– Correto. Possivelmente não teríamos sequer sobrevivido até aqui devido ao ataque de outros animais fisicamente mais fortes. Se nossa raça sobreviveu é porque conseguimos utilizar nosso cérebro e criar formas de nos defender do meio hostil, e dominá-lo. É a lei da sobrevivência e da evolução. Só isso já demonstra que nosso comportamento se modifica ao longo da vida. Seguramente você não pratica as mesmas atitudes que praticava quando tinha 15 anos de idade.

 

– Mas vamos a outra pergunta. Será que já nascemos prontos? Com uma personalidade definida? Relembrando nossa conclusão anterior o que você acha?

– Difícil hem?! Considerando o que falamos não dá para afirmar que nascemos prontos! Mas como eu pratico sempre um padrão fixo conduta? Por exemplo; Quero praticar esporte, mas sempre na hora de ir ao clube prefiro ficar em casa?

– Você acredita que o padrão é sempre o mesmo? Se observar bem vai perceber que seus comportamentos são diferentes a cada dia. Ou você se sente mais acomodado em optar por ficar em casa, ou se sente mais frustrado. Mas fixo, igual, nunca será. Na verdade, seus padrões atuais de conduta foram sendo incorporados ao longo de sua vida no processo de educação. Desde seu nascimento até esse momento, inclusive, você foi aprendendo, incorporando, novos comportamentos em todas as situações de sua vida. Primeiro em casa com seus pais. Depois com seus primeiros amigos na escola. Depois em seus grupos de amigos na escola secundária, clube, igreja etc. Depois na universidade. No trabalho. Etc… Todas essas diferentes situações, vividas com diferentes pessoas, foram, ao longo de sua vida, formando essa forma mais característica de agir até aqui. Mas… Você continua vivo, e continua experimentando novas situações todos os dias. O que isso significa?

 

– Bem… Que continuo aprendendo e modificando meus comportamentos.

– Perfeito! Se nascêssemos com um padrão, uma personalidade definida, seriamos sempre os mesmos e não teríamos as oportunidades de conseguir melhorias contínuas durante toda nossa existência. Aliás, é exatamente essa realidade que nos diferencia dos outros animais, que nascem com um padrão biológico mais fixo. Nossa grande vantagem é poder modificar nossos próprios comportamentos a cada minuto.

Esse é um ponto muito importante. Não só estamos modificando nossa forma de conduta a cada minuto como estamos fazendo essa modificação utilizando nossa inteligência, conhecimentos e experiências acumuladas durante todos esses anos de vida. Portanto modificando nossos comportamentos da forma que queremos para conseguir as realizações que desejamos.

 

– Mas porque certas pessoas continuam com hábitos que já não são úteis? Perguntou novamente o presidente.

– Certas pessoas não. Todos nós! Você também! Pode fazer uma reflexão realista e você verá que também mantem alguns hábitos inúteis. Com ir para casa em vez de ir ao clube e praticar algum esporte.

– Por quê?

– Porque são comportamentos praticados repetitivamente durante um período muito longo de sua vida e estão muito enraizados em seu padrão de conduta. Por isso são chamados de hábito. É como escovar os dentes após as refeições; acordar em determinada hora; tomar banho ao chegar do trabalho; etc. Todos nós estamos cheios de hábitos.

– Como escapar deles?

– Modificando-os no momento em que aparecem. Por exemplo. Pela manhã, ao vestir sua roupa para o trabalho pegue também uma bolsa com seu material esportivo. Deixe esse material no carro de modo que possa ver no final da tarde. Ao terminar o expediente, vendo a bolsa, faça o esforço e vá ao clube. Depois do esporte, perceba o efeito do exercício no seu corpo. Se você repetir isso vários dias seguidos, vai adquirir um novo hábito.

– E como posso fazer minha equipe modificar seus hábitos para melhor?

– Faça o mesmo que estou fazendo com você… Force-os a pensar em novas alternativas de conduta frente a cada situação que enfrentam. Defina claramente os comportamentos mais úteis a serem praticados. Faça com que eles percebam as consequências de seus próprios comportamentos por meio de seus comentário e avaliações. Se desejar, utilize indicadores numéricos específicos. Debata, analise atitudes e crie novas formas de conduta diariamente. Lembre-se todos os comportamentos, seus e de seus seguidores, estão mudando a cada segundo. Ou você faz isso ou cada pessoa muda a seu sabor.

 

Não há mágicas! Nossos comportamentos estão mudando. Ou você assume a mudança de seus comportamentos por sua própria iniciativa, utilizando sua percepção, inteligência e experiências na busca por consequência que você deseja, ou o meio ambiente força você a mudar para o lado que ele forçar.

– Está bem. Por onde e quando posso começar?

– Sem muitas delongas, pode começar já! Ao sair daqui observe o primeiro funcionário de sua equipe trabalhando. Se ele estiver fazendo algo contributivo fale isso para ele. Se tiver praticando algo prejudicial, fale também, mas agora debata uma forma melhor de trabalhar e fale para ele utilizar essa nova forma desse momento em diante. Já é um bom começo. Se você fizer isso todos os dias, várias vezes ao dia vai construir um grupo bem melhor. E vai se sentir bem melhor.

 

– Sobre o que era nossa reunião mesmo?

– Sobre isso. Como utilizar a ciência do comportamento de forma estruturada para conseguir alta performance com seu grupo.

Comesse você também. Aproveite!

 

LAUTER F. FERREIRA

Psicólogo
Autor do livro Construindo Equipes de Alta Performance.
www.ayreseferreira.com.br

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *