Modelo de Negócios e Resultados: a diferença entre o sucesso e o fracasso em diferentes cenários.  

29 jan 2016

modelo de negócios 2

Em nossa atividade diária como consultor, assessor e conselheiro em diferentes organizações temos vivenciado a falta, o excesso e a ausência  de coordenação de  iniciativas: programas, projetos e ações. Isso tem acontecido em momentos de prosperidade e, também, de dificuldades.
Diante deste quadro  os resultados almejados ficam comprometidos.

Ou seja, reiteradamente, temos chamado à atenção que, na maioria das vezes, as empresas não têm colhido resultados proporcionais as possibilidades dos cenários em curso. Ou seja, não tem sido capazes de aproveitar as oportunidades inerentes aos períodos de  crescimento ou de recessão.

Temos observado que uma das causas fundamentais está na ausência de clareza em relação ao MNR Modelo de Negócios e Resultados.

Isto é, como obter resultados duradouros e sinérgicos das atividades atuais e futuras?

Uma pergunta básica!  No entanto, pouco refletida, ou com falhas de implantação das respostas. Afinal, como se dar bem diante dos diferentes cenários que impactam o nosso negócio?

Como organismos vivos, nossas organizações, sejam elas, privadas, filantrópicas, ou públicas, precisam urgentemente cuidar da sua saúde e qualidade de vida, de uma maneira integrada. Essa é a função primordial do MNR  Modelo de Negócios e Resultados. Por meio dele, ganhamos clareza de propósitos, estratégias e operações.

Uma análise do MNR, de uma maneira geral, poderá nos conduzir ao “exame clínico”, no sentido de observação direta e atenta sobre a geração dos resultados das atividades em cursos e das futuras iniciativas.

Ao proporcionar uma visão integrada das organizações, os Modelos de Negócios, contribuem para capitalizar as sinergias, apontar as entropias e adequar as estratégias, com  os processos, permitindo que as pessoas deem o melhor da sua contribuição para gerar os resultados que estejam em sintonia com os diferentes cenários, que garantirão  a   sustentabilidade da organização.

A figura a seguir, ilustra essas possibilidades.

Paulo

As partes, componentes e, também, as siglas, serão objeto dos nossos próximos artigos que serão publicados neste blog.
Você pode contribuir , desde já,  com os seus comentários, criticas e sugestões.

Heles Soares Júnior
CEO da Gestão Estratégica Consultores
www.planejamentoestrategico.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *