O papel da Tecnologia da Informação na execução da Estratégia das empresas. (parte 2)

28 fev 2018

 

TI e estratégia

Como a Tecnologia da Informação (TI) pode se tornar protagonista na execução da Estratégia, contribuindo para a melhoria dos resultados e o aumento da governança das organizações?

Minha carreira como profissional de TI esteve, desde o início, relacionada à medição do desempenho das empresas, isso em uma época em que as principais informações das empresas ainda eram mantidas nos mainframes (computadores de grande porte) e a alta direção dependia de relatórios em formulário contínuo para ter acesso ao resultado da operação.

Ao longo da década de 90, pude acompanhar os conceitos da gestão para resultados serem levados às organizações pelos times de consultores capitaneados pelo professor Falconi. Fora do Brasil, a metodologia que se popularizou na mesma época foi o BSC Balanced Scorecard, dos professores Kaplan e Norton. Do lado da TI, o que vi foi a disseminação do uso dos computadores pessoais na organização e dos sistemas chamados de ERP (Enterprise Resource Planning), que chegaram com força total para substituir as soluções baseadas em mainframe e que carregavam o famigerado bug do milênio.

Ao final deste movimento, tínhamos gestores – cada um com seu PC – sedentos por informação, alguns ERPs líderes de mercado capazes de armazenar dados sobre qualquer transação efetuada na empresa e pouco ou quase nenhum sistema para apoio direto à execução da estratégia nas empresas.

Ainda hoje, este cenário não é muito diferente. Em um estudo recente, conduzido em todo o mundo pela conceituada empresa Gartner, constatou-se que a execução da estratégia se baseia ainda em planilhas para cerca de 50% das grandes empresas. Quando o estudo focou as médias empresas, o número foi ainda mais assustador, mais de 75% delas executam sua estratégia com o apoio das planilhas.

Nesta série de artigos, tentarei passar um pouco da minha experiência nestes mais de 20 anos de trabalho para a união destes dois mundos corporativos que são complementares, a Gestão e a TI. Apresentarei também minha visão do que funcionou e do que não funcionou nas centenas de empresas que pude conhecer neste período. Ao final, apresentarei uma tendência que é capaz de aproximar ainda mais estas áreas e como isso se apresenta como o maior desafio para o CEO nesta década. Até lá!

Marcello Ladeira
CEO da Siteware
www.siteware.com.br

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *