Cuidado com o sucesso!

                  

 hybris

Sucesso é prêmio pela competência, pelo esforço e persistência.

Não é incomum vir após alguns fracassos que, neutralizados pela resiliência, oferecem o êxito como troféu. Contudo, sucesso requer cuidados, pois costuma envolver a pessoa numa redoma de vidros.

A redoma, muitas vezes é embaçada pelo hálito de admiradores verdadeiros, mas também de falsos amigos e puxa-sacos.  Então, ensimesmado, o bem-sucedido se sente no pedestal e pode ser consumido pela soberba. Isso vale para artistas, políticos e socialites. Acomete, também, nós empresários e executivos.

Por isso o alerta: cuidado com o sucesso!

A mitologia grega já ensinava que a insolência na prosperidade era responsável pela derrocada de poderosos. Ao fenômeno era dado o nome de Hybris ou Hubris.

Inoculados pelo mal, protagonistas se afogavam em sua vaidade e “sequer se ruborizavam ao dominar os mais fracos”. Da mitologia ao mundo contemporâneo, a todo dia o noticiário relata casos de políticos doentes de Hybris.

Representantes de uma população massacrada por impostos elevados e maus serviços públicos, esses “bem-sucedidos” conseguem negar seus próprios discursos, gravações de conversas e testemunhas. Se sentem inatingíveis. É a cegueira provocada pela Hybris.

Ainda na mitologia grega, é emblemática a fábula de Ícaro. Dédalo, seu pai, era um inventor extraordinário que, traindo a confiança do soberano, foi condenado, juntamente com seu filho, a passar o resto da vida preso em um labirinto inventado por ele próprio.

O engenho era tão bem bolado, que seria impossível até para o próprio inventor encontrar sua saída. Mas, gênio que era, Dédalo construiu asas utilizando cera de abelhas encontrada no labirinto, espetada com penas de pássaros caídas do céu. Com o invento, pai e filho puderam fugir do labirinto voando.

Ícaro, que herdara de Dédalo a capacidade, mas não a habilidade, ignorou o conselho do pai para não voar muito alto, pois o calor do sol derreteria a cera e desmancharia as asas.

Sentindo-se poderoso por poder voar, inoculado pela Hybris, a vaidade e soberba de Ícaro o levaram a voar muito alto. E como seu pai havia alertado, a cera se derreteu e Ícaro caiu dos céus, morrendo.

Mais tarde, sensível à importância da humildade e reconhecendo o valor da fábula mitológica,  Esopo recomendou: “melhor que a Hybris não seja admitida como hóspede”.

 

Júlio Miranda
Consultor de estratégia e diretor do Conselho de Presidentes.
julio@conselhodepresidentes.net

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este post tem um comentário

  1. Avatar
    Anuar

    Verdade Júlio! E o pior é que é o caso da grande maioria.

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas