VOCAÇÃO PARA O VAREJO

O processo de decisão por uma franquia é muitas vezes trabalhoso. A primeira coisa que se deve fazer é identificar o negócio certo. Óbvio, ninguém quer errar, mas por favor entendam que negócio certo é aquele que melhor se ajusta ao perfil da pessoa.

Neste momento é importante que o candidato a franqueado acrescente um importante item à sua pesquisa: avaliar sua vocação para atuar no varejo. Como vocação é pessoal e intransferível, não tem franqueador que possa influenciar e resolver isso. Em primeiro lugar é preciso ter afinidade com o segmento de negócio, ou seja, gostar de executar as atividades que são desenvolvidas diariamente pela franquia. A vocação para o varejo envolve sobretudo a habilidade de comunicação, pois isto é o que se faz todo o tempo, relacionar-se com diferentes tipos de pessoas.

Outra habilidade decisiva para quem quer atuar à frente de uma loja é a capacidade de criar ótimas experiências para os consumidores. É preciso implementar e manter os melhores serviços e relacionamentos com os consumidores. Pois, hoje já se tornou importante para o cliente levar junto com os produtos que comprou um conjunto de serviços que supere suas expectativas.

E aí que entra a dedicação do franqueado ao negócio, o que se traduz principalmente pela sua presença constante na loja, praticando, orientando e dando exemplo sobre atendimento, relacionamento e serviços aos consumidores. É preciso demonstrar orgulho nos trabalhos executados, bem como agir de forma ética, dando bons exemplos de atitudes aos colaboradores da empresa.

E todo este cuidado deve existir por uma simples razão – se ao adquirir uma franquia a pessoa o faz como projeto de vida, é fundamental gostar do que se faz. E o negócio precisa ser lucrativo, com boas perspectivas para o retorno do investimento, que certamente virá mais rápido se cada cliente ficar feliz com o atendimento recebido, com os produtos e/ou serviços e recomendar a sua loja para um parente, amigo, vizinho, etc.

Em termos de vocação, podemos acrescentar ainda a capacidade de ouvir os clientes e funcionários. É importante dar à equipe a oportunidade de contribuir com novas idéias e sugestões potencialmente valiosas, que muitas vezes são convertidas em melhorias para a empresa. É preciso também saber delegar e unir o grupo em torno dos objetivos da loja e da rede, desta forma se sentirão mais valorizados e certamente mais importantes e confiáveis.

Além das habilidades para atuar no varejo é necessário refletir sobre o mercado. Portanto, defina claramente para que público você quer trabalhar. O mercado já mudou há muito tempo. Foi-se o tempo em que se vendia de tudo um pouco. Os negócios hoje, especialmente na área de franchising, estão bem segmentados, tanto em termos de produtos ou serviços como de público. É preciso conhecer o mercado, pois fica muito difícil satisfazer um consumidor que você não conhece.

Em minha experiência como lojista e franqueado nunca perdi uma oportunidade de estar à frente da loja, e junto com minha equipe de vendas, atender clientes e dar o exemplo de um bom atendimento. Além de conviver com os vendedores, participar do dia a dia deles, tinha a oportunidade de entender mais de perto o processo de compra dos clientes, e de conhecer as ações da concorrência.

Com os concorrentes pude também firmar importantes alianças. Sim, isso mesmo, alianças estratégicas com os concorrentes. Haviam coisas que nos interessavam em conjunto, como por exemplo, dividir os custos de frete das mercadorias que trazíamos de fornecedores comuns.

Entender o mercado é isto: atender clientes e conviver com a concorrência. Somente desta forma é possível avaliar o que acontece, descobrir as tendências e direcionar os negócios.

(*) Carlos Ruben Pinto – Especialista em Canais de Distribuição, Gestão de Varejo e Franquias e Instrutor da ABF

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas

Fechar Menu