A Ética depende de nós.

Se queremos que nossa empresa seja ética, antes precisamos ser éticos como pessoas e como profissionais. Só assim poderemos cobrar um comportamento ético dos colaboradores, fornecedores e outros parceiros da empresa. Novamente, é preciso lembrar que o exemplo é o maior dos mestres. De nada adianta incluir a Ética na lista de Princípios da sua empresa, se na primeira oportunidade de exercitá-los
você os desconsidera por conveniência. Este comportamento sinaliza à todos que é uma lista só para enfeitar paredes e relatórios anuais. E também não vale dizer que ‘Só desta vez faremos assim’, mesmo sabendo que não é um comportamento ético. E por falar em exemplo, devemos aproveitar os escândalos diários de corrupção, que são descobertos pela Polícia Federal brasileira, para mostrar aos colaboradores que o caminho “Os fins justificam os meios” arrasa empresas, empregos, famílias e reputações.

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este post tem um comentário

  1. Avatar

    O filósofo La Fontaine dizia que “o exemplo não é a melhor forma de educar; é a única “

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas