Como a Educação Executiva pode colaborar com o sucesso empresarial

foto OMimagesNYB2LIBH

Várias teorias tentam explicar a liderança em função de características da personalidade, da posição, da influência exercida ou do poder. Como consequência, uma série de qualidades emana dessas teorias e passam a ser paradigmas, tidos como essenciais ao líder: visionário, empreendedor, ético, adaptativo, motivador, comprometido, capaz, que faz acontecer, resiliente, persistente, carismático, exemplar – alguém, enfim, com superpoderes, muito mais perceptíveis nos super-heróis que nos seres humanos.

Peter Drucker afirma que podem existir líderes natos, mas eles são raros demais para que dependamos deles. Alvin Toffler pensa que “nossa responsabilidade moral não é parar o futuro, mas moldá-lo (…), conduzir de forma humana o nosso destino e aliviar o trauma das transições”. Refletir sobre isso ajuda a entender melhor o papel de um líder moderno: aprender com as lições do passado, transformar o presente e fazer o futuro acontecer.

Bons resultados já não são suficientes. É preciso garantir o desenvolvimento sustentável para os próximos anos, para as próximas gerações. Além disso, a estratégia também tem um papel decisivo. É através da sua efetiva execução que se agrega o valor necessário para a  diferenciação. Para o estrategista Narayan Pant, a estratégia tem que responder a duas perguntas: “Onde você vai competir?” e “Como você vai ganhar?”.

Na chamada era do conhecimento, as pessoas são os maiores ativos das empresas. Por isso, entender a importância e o papel das pessoas nos processos é fundamental. O processo de tomada de decisão, por sua vez, exige capacidade de entender corretamente o problema e, mais importante, resolvê-lo; de assumir responsabilidades; de reconhecer os erros e de errar cedo, sem muito custo e constantemente. A comunicação também é imprescindível. A falta de clareza na comunicação dos direcionamentos da empresa compromete os resultados e pode causar danos irreparáveis.
Cada ponto abordado não pode ser visto isoladamente. Eles formam um sistema interligado e interdependente, onde a soma do todo (os resultados alcançados) é maior que a soma das partes (resultados isolados).

Além disso, é importante entender que o futuro não vem de uma vez só. As vitórias de amanhã dependem do trabalho de hoje. Ter visão de futuro, executar a estratégia de maneira eficaz, apresentar produtos e serviços diferenciados, ter pessoas qualificadas e comprometidas e um sistema de comunicação eficiente, tudo sistemicamente integrado com o ambiente interno e externo, garante ao líder a condução da empresa rumo ao desenvolvimento e crescimento sustentável e duradouro.

Uma grande e importante parte desse processo de formação humana e estruturação de um modelo mental que entenda e busque a sustentabilidade, passa pelo processo de ensino-aprendizagem, da educação. Nesse sentido, a Educação Executiva oferece uma oportunidade única aos líderes de preencherem eventuais lacunas de formação acadêmica e de se atualizarem com novos conhecimentos, propiciando, ainda, uma troca de experiências e aprendizados entre os participantes.

 Oto Morato
Diretor regional para América Latina dos Programas de Educação Executiva da Cornell University
oma24@cornell.edu

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas