Liderança: O que é, e para que serve?

Nesse último ano me dediquei à montagem de uma metodologia destinada a orientar pessoas na prática de suas habilidades de autocontrole como elemento fundamental para uma vida saudável, contributiva e feliz. Durante esse processo li muitos textos modernos e contemporâneos, reli autores mais tradicionais, alguns do período quando ainda cursava Psicologia, fui montando o fluxo de modificação de comportamento e escrevendo os textos de suporte.

Ao longo desse trabalho fui constatando que toda pessoa que se utiliza de suas forças naturais de forma plena, intensa e equilibrada passa a ser observada e seguida pelas pessoas que fazem parte de sua comunidade de relacionamento como fonte de melhorias em suas vidas. Uma pessoa que autocontrola seus comportamentos assume, naturalmente, uma liderança contributiva. Diante desse fato inclui nessa metodologia um último capítulo e voltei a buscar informações sobre liderança em diversas fontes disponíveis.

Aqui descrevo apenas alguns achados e algumas reflexões.

A antropologia nos mostra que “líderes” são figuras que fazem parte da vida social desde que o ser humano se viu como um animal que vive em bandos, ou grupos, ou equipe, ou organizações de todos os tipos, como forma mais apropriada de conseguir sobrevivência pessoal e de sua comunidade.

Os textos históricos e religiosos estão repletos de exemplos de pessoas que lideraram comunidades inteira e, ainda nos dias de hoje exercem forte influência em nossa sociedade.

Nos textos mais antigos, os bíblicos, encontramos a figura de Abraão, talvez o primeiro “líder” de que se tem notícia. Um sujeito que definia as regras de conduta e direcionava os comportamentos de seu grupo. Seguido por uma infinidade de pessoas que assumiram esse papel até os dias de hoje e que influenciam fortemente nossa sociedade.

A história nos proporciona outra infinidade de textos demonstrando o papel de pessoas comuns que assumiram práticas de liderança e conduziram toda uma sociedade em busca de transformações significativas em suas vidas. Muitas vezes de forma até violenta. Mas quero destacar aqui a figura de Mahatma Gandhi, que conseguiu conduzir o povo indiano em sua libertação do domínio inglês por meio de uma forma de conduta que ficou conhecida como “Não violência”. Sem proferir um único tiro.

Todos esses textos, e talvez muitos outros que não tive oportunidade de ler, levam a uma conclusão muito simples: Líderes são pessoas que participam do processo de busca por situações que beneficiam um grande número de pessoas a sua volta. Utilizando intensamente todas as suas forças naturais, influenciam e orientam o grupo na melhor forma de conduta coletiva em busca desses benefícios.

Pessoas que assumem a tarefa de liderar captam todo tipo de informação que descreve o cenário comportamental do grupo a sua volta. Busca em sua memória e em conhecimentos disponíveis formas novas de comportamento que podem garantir às pessoas que fazem parte de seu grupo a construção dos benefícios que procuram. Dialoga, debate e define as atitudes mais contributivas a serem praticadas. Participa intensamente das práticas definidas junto com as pessoas. Novamente capta acertos e erros, sente-se feliz com resultados contributivos, frustra-se e sente-se triste com resultados prejudiciais, mas reage e reorienta os comportamentos, aprimorando e aumentando a probabilidade de alcançar os benefícios que todos desejam.

São comportamentos que todas as pessoas executam em seu dia a dia porque fazem parte da natureza da vida humana. O que nos leva a outra conclusão importante… Todos, em alguns momentos de suas vidas exercem alguma forma de liderança, influenciando as pessoas a sua volta na busca por algum benefício comum.

Liderar faz parte da atividade cotidiana de todas as pessoas!

A diferença entre líderes comuns e famosos é apenas a intensidade de utilização dessas forças humanas que já estão sob suas peles. Pessoas que ao longo de suas vidas tiveram oportunidade de praticar e desenvolver essas habilidades com maior frequência assumem com mais facilidade as oportunidades cotidianas. Pessoas que ao longo de suas vidas tiveram menos oportunidade possuem mais dificuldade de para assumir a liderança nos tempos atuais. Mas… todas possuem sob sua pele todas as forças para liderar grupos de forma organizada e contributiva. Basta praticar com mais intensidade, analisar suas próprias contribuições e modificar sua própria forma de conduta com coragem e determinação ao longo da vida.
Como tenho encontrado em diversos textos, o líder é aquela pessoa que encontra caminhos para que todos tenham sucesso!

Até que ponto você, em sua atividade diária está encontrando caminhos e carregando outras pessoas com você!

Pense nisso!

LAUTER F. FERREIRA, psicólogo

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas