O que a governança corporativa traz às empresas?

governança corporativa se trata de um apanhado de processos, hábitos e regras, que direcionam a maneira de administrar uma empresa. Além de criar, registrar e documentar os procedimentos e suas normas, há outros pontos levados em consideração.

governança empresarial pode ser vista como a direção a ser seguida por uma organização, se esta quiser atingir os resultados estipulados em suas metas. Se você quer saber mais sobre isso, continue a leitura e descubra!

O que é governança corporativa?

Ao pensarmos sobre o que é governança corporativa, podemos voltar às suas bases estabelecidas na chamada Teoria da Agência, que diz respeito à relação entre “agentes” e “principais”.

O termo “principais” é atribuído aos donos da empresa. Já os “agentes”, por sua vez, são todos aqueles contratados pelos principais, com o objetivo de ajudar a gerenciar os processos e garantir que seus interesses sejam atendidos.

Empresas que levam a governança corporativa a sério e aplicam seus propósitos na prática geram mais valor para si e contam até com mais facilidade na captação de recursos, graças à boa reputação que é construída ao longo do tempo.

Os agentes geralmente possuem diversas demandas, internas e externas, o que pode acabar provocando erros, uma vez que o capital humano está em jogo. Mas essas falhas podem ser superadas se a boa governança for colocada em prática.

Para que serve a governança corporativa?

O objetivo principal da governança corporativa é alinhar os interesses dos donos do negócio com os dos agentes, assegurando que políticas internas, estratégias e demais processos sejam seguidos e que suas contas sejam devidamente prestadas.

Mas como essa ponte é feita de maneira eficiente? Essa ligação é realizada a partir de alguns princípios. Vamos conferir esses pilares a seguir:

  • Regras: com regras estipuladas, é possível estruturar o negócio, guiando o comportamento dos colaboradores e aprimorando as decisões dos administradores;
  • Auditorias: é a partir do processo de auditoria que as regras podem ser aplicadas e monitoradas, acompanhando o caminho traçado pelos agentes,
  • Restrições de autonomia: o nível de autonomia deve ter seu limite, deixando claro até que ponto os administradores podem falar pela organização e tomar decisões de forma independente.

Governança corporativa e compliance: quais as diferenças?

É comum pensar que governança corporativa e compliance sejam a mesma coisa, mas não é bem assim. Enquanto a governança diz respeito à abordagem de administração de cada empresa — incluindo política interna, cultura e valores —, o compliance age para regulamentar a atuação das empresas.

Cabe ao compliance, portanto, prezar pela ética e práticas legítimas na gestão das empresas, de acordo com as normas do mercado em vigor. E, por mais que existam diferenças entre seus conceitos, nada impede que compliance e governança trabalhem juntos, impactando no bem-estar e na consolidação da imagem de uma companhia.

Como aplicar a governança corporativa?

Entre os benefícios da governança corporativa, além do refinamento dos processos administrativos dentro da empresa, está o da possibilidade de chegar a consensos claros relacionados a assuntos mais burocráticos, como datas de reuniões, participantes de votações, responsáveis por aprovações, etc.

Para atingir esses níveis de organização e satisfação interna, a aplicação da governança deve ser introduzida seguindo algumas recomendações dedicadas a trazer confiança e fortalecer as relações. Confira a seguir quais são esses fundamentos.

Transparência

O princípio da transparência pede que informações, além das estipuladas pela legislação e outros regulamentos, sejam divulgadas, para que todas as pessoas envolvidas na administração do negócio tenham acesso aos dados de seu interesse.

Essas informações não dizem respeito somente a critérios financeiros constantemente tratados com mais peso, mas, sim, a todos os fatores ligados à gestão da empresa, que visa sempre seu crescimento e criação de valor.

Equidade

Todos os participantes ativos de uma organização, como donos, sócios e investidores devem contar com tratamento igual, bem como suas devidas responsabilidades, necessidades e projeções internas.

Compromisso com o crescimento

A governança diz que seus agentes devem cuidar da saúde financeira do negócio, restringindo ao máximo impactos negativos e eventos imprevistos, como falta de materiais ou quebra de equipamentos.

Aumentar produtividade e receita também é um compromisso dos administradores, que precisam ter sempre em mente os valores da organização, o modelo de negócio, e o prazo de cada investimento — curto, médio e longo.

Impactos da governança corporativa nos negócios

A ausência de regras e limites pode trazer grandes dores de cabeça a um negócio. O excesso de restrições também pode não ser uma boa ideia. Sendo assim, o equilíbrio é a chave.

Em uma governança muito severa, os agentes não têm as condições adequadas para implementar suas ideias e planejamentos, uma vez que sua voz ativa está constantemente presa a terceiros.

Em um formato brando demais, os administradores podem se sentir livres para tomarem decisões que não lhe cabem, colocando em risco a imagem e o capital da empresa e aumentando as chances de excesso de autoridade.

A falta de supervisionamento e a autonomia exacerbada dificultam a percepção de uma possível falha, baixa nos resultados e outros prejuízos. Nesse sentido, contar com um sistema de gestão pode ser uma boa alternativa no acompanhamento de dados e indicadores de desempenho.

Faça a melhor governança na sua empresa!

No conteúdo que trouxemos, apresentamos o conceito da governança corporativa, seus objetivos e sua relação com o compliance, além de trazer dicas para sua implementação, com as melhores práticas e os impactos que elas causam nos negócios.

A TOTVS é uma empresa 100% brasileira e maior empresa de tecnologia do país. Nossas soluções não são voltadas somente a grandes empresas, mas também a negócios de pequeno e médio porte.

Equipe TOTVS – Gestão de Negócios 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas