Organizações contributivas, saudáveis e lucrativas.

Não se sabe ao certo como isso aconteceu e nem em que momento da história. O que se sabe é que no início, quando ainda vivia no meio do mato como qualquer outro animal, o ser humano andava em bandos e havia descoberto que dessa forma conseguia caçar animais maiores e prover alimentação abundante a todo o bando. Mas em algum momento, não se sabe porque, alguns elementos começaram a agir de forma a buscar mais e melhores condições a si próprios em detrimento de outros, provocando revoltas e desagregações, com a formação de novos agrupamentos que foram tomando caminhos diferentes.

A partir desse momento criamos uma infinidade de bandos vivendo por conta própria, com regras próprias, mas que agora, devido a diversos fatores, principalmente o aumento populacional e a comunicação global facilitada, volta a se chocar. Um novo cenário se avizinha e, novamente, cabe ao ser humano desenhar novas regras para um novo futuro.

Na antiguidade os bandos eram em pequena quantidade, formados por poucos integrantes que viviam espalhados em uma imensidão territorial. Hoje os bandos são muitos, extremamente populosos e a imensidão territorial é a mesma. O que significa que a cada dia mais gente se junta em um pedaço cada vez menor de espaço. 

Mais gente em menos espaço significa que choque de ideias, comportamentos e convivência acontecerão com frequência cada vez maior. Nunca falamos tanto, e buscamos tantas alternativas, em relação ao meio ambiente: A convivência entre pessoas, outros animais, vegetais e minerais.  Embora a ganância ainda prepondere entre a maioria das pessoas, uma grande transformação se avizinha. 

Como afirmam alguns cientistas da teoria do caos… “toda situação caótica possui em si mesmo fatores capazes de provocar a formação de nova ordem”.

Nova ordem que já estamos observando em algumas realidades fundamentais:

  • “O mundo é movimento. Nada está parado!” 

Nunca essa frase, dita a mais de 2500 anos por Heráclito, foi tão evidente. Hoje, além de evidências científicas, todos percebemos em nossa vida diária que tudo muda a nossa volta a todo momento. Não somos mais os mesmos e mudamos nossa forma de conduta todos os minutos. Definitivamente, basta ver o noticiário e analisar seu próprio dia para verificar a força dessa realidade.

  • Nós, seres humanos, continuamos gregários. Mais do nunca precisamos da convivência com outras pessoas para conseguir um mínimo de sobrevivência. Até mesmo pessoas em condições de extrema pobreza só sobrevivem pela solidariedade de outras. Só é possível uma vida melhor pela cooperação!
  • Vivemos uma sociedade global cada dia mais conectada. Portanto um ambiente extremamente ecológico. Uma rede global de influências recíprocas intensas e extremamente diversificadas. Onde cada pessoa coloca suas ideias, produtos e serviços, e de onde retira ideias, produtos e serviços que outros proporcionam! A cada dia essa rede aumenta, reduzindo ainda mais a possibilidade de sobrevivência solitária.
  • Somos um grande bando inteligente. O único animal desse planeta que possui um sistema neural anatômica e fisiologicamente estruturado para confrontar informações captadas de seu ambiente, fazer infinitas modalidades de análises, criar pensamentos novos a cada segundo e praticar novas formas de conduta. Sempre melhores do que as praticadas no passado. Somos seres essencialmente criadores de novos futuros. Como afirma Viktor Frankl: “É uma peculiaridade humana viver olhando para o futuro”. 

Somos o único animal capaz de utilizar um sofisticado sistema de raciocínio para criar o futuro conforme nossos desejos.

Diante dessas realidades e dos conflitos próprios da convivência cada vez mais intensa dos aglomerados humanos, algumas organizações já estão apresentando sinais de um novo modelo de comportamento.

  • Um novo modelo mental, forma de pensar, já está sendo adotado e praticado. Os líderes dessas organizações já estão “navegando” considerando as realidades fundamentais descritas. Conduzindo o grupo de pessoas para um modelo organizacional completamente aberto, sem muros. Onde fornecedores, clientes, governo, familiares, organizações sociais e de representatividades, plantas, animais e minerais fazem parte de uma única realidade sistêmica e todos precisam progredir. A escassez de um provoca a escassez dos outros. Cada vez mais é evidente a vida sistêmica e conectada. Nessas organizações, líderes e profissionais buscam continuamente praticar comportamentos que produzam resultados capazes de beneficiar todos os participantes desse sistema conectado.
  • Um novo modelo de lucratividades está surgindo. Aquela ganância exagerada que surgiu no passado distante começa a ser dissipada. Já está bem claro que a ganância exagerada produz a pobreza, a escassez, de grandes agrupamentos humanos e, com o tempo, a degradação total. Por isso, líderes estão criando modelos operacionais capazes de fornecer produtos e serviços que todos podem adquirir. Que possam gerar recursos financeiros capazes de manter e melhorar essas operações continuamente. E, por fim proporcionar a seu grupo organizacional condições de vida sempre melhores. Formando uma espiral de desenvolvimento humano sempre crescente.
  • Mais do que nunca os grupos organizados estão utilizando conhecimentos e inteligência de todos os participantes do conjunto orgânico na prática de comportamentos úteis, contributivos, cooperativos, com a saúde e bem estar de todos os participantes. Muitos líderes organizacionais já incentivam a participação de pessoas diferentes, com ideias diferentes nos debates e nas tomadas de decisões visando o aproveitamento de todo conhecimento e inteligência disponível. 
  • Por último… Líderes que realmente desejam construir sistemas organizacionais sustentáveis ao longo de muitos anos já estão se comportando de forma a influenciar todas as pessoas participantes do sistema que lideram na utilização prática de seus conhecimentos e inteligência em busca da realização de benefícios comuns. Ninguém, nenhum cérebro é dispensável. Todas as pessoas são vistas como elementos geradores de valor para o sistema organizacional. Portanto, todos são criadores do futuro sempre mais promissor que todos desejam.

Uma grande transformação no mapa organizacional está em curso!

Um novo modelo de gestão e liderança está surgindo. Um líder capaz de aglomerar conhecimentos diversos, provenientes de pessoas diversas, incentivar e provocar a utilização da inteligência de todos na busca pela criação e fornecimento de produtos e serviços que agreguem valor a sua comunidade de relacionamento. Um líder capaz de compartilhar reconhecimentos e ganhos com todos os agentes de transformação, como forma de recompensar avanços significativos e a criação de desejos de busca por um futuro ainda mais valoroso.

De certa forma estamos voltando para o futuro organizado! Matar um animal maior para beneficiar uma sociedade cada vez maior e mais complexa!

Lauter F. Ferreira, Ayres & Ferreira Ltda.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas