Por que finalmente pode ser hora de contratar um Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer)

Hoje, a América corporativa enfrenta uma crise de liderança. Para enfrentar essa crise, a prática da liderança precisa ser elevada a uma função de alto escalão: o Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer). As empresas de sucesso devem evoluir para atender o mundo em mudança. Muitas vezes, eles fazem isso criando novas funções que são oportunistas, atendem a uma necessidade urgente ou evitam uma crise. A criação da função de liderança principal é um desses momentos.

QUAL É O PAPEL DO CHEFE DE LIDERANÇA?

Em sua essência, a missão do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) é garantir que exista uma cultura de liderança robusta e que os fatores que contribuem para ela sejam consistentes e alinhados. O Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) trabalha para conectar todos os pontos que determinam o comportamento de liderança em uma empresa e para garantir que os líderes desenvolvam todo o seu potencial.

Muitas empresas hoje não conseguem definir – em termos claros e simples – sua visão geral para uma grande liderança. Além disso, muitas vezes carece de uma abordagem unificada e intencional para os muitos ingredientes que criam uma cultura consistente de liderança. Esses ingredientes incluem propósito corporativo e estratégia de valores, recrutamento, critérios de desempenho, sistemas de recompensa, coaching, treinamento e desenvolvimento, comunicação externa e interna e estratégia de equidade e inclusão.

Muitos deles, embora não todos, geralmente caem sob a alçada do RH. Independentemente de onde caiam, no entanto, eles precisam ser vistos e executados especificamente através de uma lente de liderança. Sem essa abordagem focada e uma separação clara da população de funcionários como um todo, seu impacto no comportamento de liderança será diluído.

A pessoa que ocupa a posição Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) deve ter um histórico comprovado de liderança bem-sucedida e deve servir como um modelo de liderança para a empresa. Com essa experiência de liderança em mãos, um Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) eficaz:

  • Articula uma visão de como é a liderança de sucesso na empresa
  • Torna-se um evangelista dessa visão e garante que as comunicações internas e externas a apoiem de forma ativa e consistente
  • Garante foco e alinhamento entre os muitos ingredientes que contribuem para o comportamento de liderança
  • Avalia o sucesso da empresa em cumprir sua visão de liderança de forma contínua
  • Reforça o comportamento de liderança apropriado por meio de programas projetados em resposta ao feedback dos funcionários e pesquisas
  • Cria oportunidades para recompensas para aqueles que não seguem o líder dos grandes empreendedores, para que a empresa não perca a aptidão e a experiência desses funcionários simplesmente porque lhes falta potencial de liderança

O coaching pessoal de líderes atuais e futuros é uma função crítica do escritório do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer). As empresas gastam bilhões de dólares na contratação de coaches executivos todos os anos com a intenção de formar líderes melhores. Mas muitos desses coaches externos não têm experiência real de liderança – eles podem ter aprendido sobre liderança em uma sala de aula acadêmica, mas não foram eles próprios líderes.

Os coaches com formação acadêmica não são tão eficazes quanto os líderes já comprovados. O escritório do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) é composto por um grupo de líderes testados pelo tempo que atuam como treinadores para ajudar as pessoas a se tornarem grandes líderes. Esses coaches podem ser veteranos da empresa ou ex-líderes de sucesso de outras empresas que assumem uma função de coaching em tempo integral.

O escritório do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) trabalha multifuncionalmente com grupos como RH, recrutamento, comunicação corporativa, marketing, treinamento e diretoria para oferecer uma cultura disciplinada e coerente de grande liderança. O escritório do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) é responsável por criar uma bancada de líderes excepcionais, melhorando a satisfação dos funcionários e melhorando as relações líder / funcionário. Em suma, o escritório do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) promove uma cultura de trabalho positiva.

POR QUE UM Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) AGORA?

A ideia do papel do Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) (CLO – Chief Leadership Officer)  não é nova. Diversas interpretações do papel já vieram à tona antes, mas sem ganhar muita força.

Mas hoje – dadas as graves falhas de liderança que surgiram recentemente – há uma urgência em criar o papel de Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer). Exemplos de má liderança continuam a ocorrer, apesar da atenção contínua da mídia e do intenso escrutínio. Algo não está funcionando.

Questões problemáticas de liderança surgiram em todo o espectro, em empresas grandes e pequenas, abrangendo setores. Discriminação, sexismo, assédio ou locais de trabalho geralmente tóxicos apimentam a paisagem. Como resultado, há uma necessidade essencial para que as empresas reparem os danos já causados, erradiquem os comportamentos de liderança inaceitáveis ​​e promovam os bons. Esta transformação não será alcançada durante a noite e exigirá atenção concentrada.

À medida que as populações de funcionários mais heterogêneas se desenvolvem, é essencial ter uma abordagem de liderança com mais nuances. As sensibilidades únicas de diversas populações de funcionários, por sua natureza, exigem isso.

O QUE A PESQUISA NOS DIZ SOBRE LIDERANÇA?

É particularmente surpreendente ver o enorme efeito que a liderança tem nos níveis de satisfação dos funcionários. De acordo com a McKinsey, “Os relacionamentos com a administração são o principal fator na satisfação dos funcionários [nível de] no trabalho”. Uma pesquisa Gallup descobriu que 82% dos gerentes e executivos são vistos por seus subordinados diretos como carentes de qualidades e habilidades de liderança. E o pesquisador Robert Hogan relata que 75% dos “adultos que trabalham dizem que o aspecto mais estressante de seu trabalho é o chefe imediato”.

Parte disso ocorre porque as pessoas muitas vezes são promovidas a posições de liderança com base em seu domínio de uma função específica ou conhecimento técnico, em oposição a qualquer capacidade comprovada ou desejo de liderar. Isso ocorre porque muitas empresas fazem da “liderança” o único caminho para o crescimento ou avanço.

Também existe uma desconexão entre os líderes da empresa e seus funcionários ao avaliar os pontos fortes e fracos da equipe de liderança. Em uma pesquisa entre 52.000 gerentes e funcionários, a McKinsey descobriu que, quando se trata de suas próprias qualidades de liderança, eles tendem a se avaliar significativamente mais alto do que seus funcionários.

“O que fazer quando você tem um chefe ruim”, um artigo da Harvard Business Review, ilustra muitos motivos nada ideais para as pessoas permanecerem no emprego apesar de terem chefes ruins. Esses motivos incluem “o trabalho paga muito bem para sair”, “não há empregos que seriam melhores”, “as coisas podem melhorar” e “Eu preciso do salário”. As empresas devem esperar e se empenhar por uma liderança melhor como a razão pela qual os funcionários permanecem no emprego, em vez de fazer com que eles encontrem desculpas para não saírem apesar da liderança deficiente.

O QUE O FUTURO GUARDA?

As consequências de uma liderança fraca são grandes demais para que as empresas esperem mais antes de assumir a função de Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer). À medida que as empresas se empenham em priorizar locais de trabalho mais acolhedores e inspiradores, as próprias qualidades de uma boa liderança nunca foram tão examinadas, reavaliadas ou essenciais. Além disso, consumidores e clientes de todos os tipos estão cada vez mais valorizando os valores adotados pelas empresas de quem compram, incluindo seu perfil de liderança. É hora de todos os fatores que podem definir a liderança de uma empresa serem melhor articulados e coordenados para atingir um propósito comum: uma prática de liderança excepcional.

Criar a função de Diretor de Liderança (CLO – Chief Leadership Officer) exigirá trabalho, investimento incremental em pessoas e dólares e o potencial para alguma mudança de liderança. Mas isso será superado pelo que se desenvolverá: um local de trabalho mais robusto e feliz que melhora o desempenho da empresa e constrói uma boa vontade corporativa mais forte.

Paul Donaher é diretor da PJD Consulting e ele foi diretor administrativo sênior da Apple.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas