Prepare-se enquanto você tem tempo

capa livro Economia Compartilhada

Melhor você se acostumar com este nome: Economia Compartilhada.

Ele já provou que é uma tendência irreversível, disposta a superar todas as ameaças, inclusive as físicas, como ainda sofrem os elegantes e educados motoristas e até os clientes do Uber.

Os agressores  não aceitam novas e melhores formas de atender novas demandas de clientes mais exigentes e também mais conscientes da importância de criar valor com recursos compartilhados.

O Uber, criado em 2009, acaba de receber reforços de investidores que injetaram de US$ 2,1 bilhões, o que eleva o valor da empresa para impressionantes US$ 62,5 bilhões. Sem ter um único carro e nem fábricas, a empresa vale mais que as centenárias Ford e GM.  Ela tem à sua disposição uma frota de 400 mil veículos, só nos Estados Unidos.

Não adianta você dizer que “minha empresa está imune à esta tendência pois não atua em transporte e nem em hospedagem”, pensando que assim não será ameaçada pelos Ubers e AirBnbs que se multiplicam com a aceitação do conceito e com o avanço da tecnologia mobile.

Outros setores já foram invadidos pela novidade. Por exemplo, se você quiser ver um filme no celular, notebook ou na TV,  a Netflix tem a solução, sem você precisar  pagar para alugar filmes: basta fazer uma assinatura mensal e ver na hora que quiser, quantos filmes tiver vontade de ver.

Se você quiser viver uma experiência diferente, como a de almoçar ou jantar na casa de um desconhecido, que preparou tudo sob medida para você, o Dinner tem a solução.

Já o Tripda é o aplicativo que procura as melhores caronas, para sua comodidade e para reduzir o custo de seu deslocamento, sem você ter que tirar o seu carro da garagem. Vagas nas cidades estão em extinção…

Robin Chase, a autora do excelente livro Economia Compartilhada, recém-publicado pela HSM Editora,  também é fundadora da Zipcar e da Buzzcar, que foram as pioneiras no uso deste conceito, inovando radicalmente no setor de transportes.

Nossa recomendação é simples:
Reúna sua equipe e usem a sem restrições a imaginação, para antecipar o que a Economia Compartilhada poderá mudar na forma de atender as necessidades dos seus clientes.

Depois decidam se a sua empresa vai esperar acontecer e conviver com as consequências (positivas e negativas), ou se será proativa e fará acontecer, com muito mais controle sobre as ameaças e oportunidades, que certamente virão com as mudanças provocadas pelo novo conceito.

Novamente, a escolha é sua, como também será sua a responsabilidade por ela.

 

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas