Propósito, afinal o que é isso?

Está cada vez mais usual, em todo e qualquer artigo que se escreva sobre as empresas e seu futuro, citar-se propósito como algo que as diferenciará, que deve obrigatoriamente estar considerado em todos os planejamentos, bem ao lado da obrigação da empresa gerar lucro para seus acionistas. Empresa sem propósito é empresa sem futuro

Também penso assim, mas afinal, o que é esse tal de propósito?

Há quem pense que seja uma frase de efeito, como erradamente muitas empresas fizeram (e algumas ainda fazem) com relação a missão, visão e valores, escrevendo nas paredes algo que ninguém lê e menos gente ainda sabe o significado real.

Há quem pense que seja o objetivo social da empresa, o que ela pretende vender para o mercado, ou como ela quer ser vista.

Há ainda quem pense que seja apenas a forma dos dirigentes, ou donos, daquela empresa pensarem, o que muitas vezes, infelizmente, acaba sendo verdade.

Em minha opinião propósito é o elo, é quem faz a ligação entre a empresa, seus colaboradores e seus clientes.

Aprendi com o grande Roberto Tranjan que o propósito não começa com a empresa, mas com as pessoas, todas elas, o propósito pessoal. Embora complicado de se encontrar, o propósito pessoal é algo que você faz (ou deseja fazer) e que te gera satisfação, te completa e te faz melhor, em sua própria opinião. É o seu desejo, algo pelo qual você se esforça independentemente de qualquer recompensa ou reconhecimento. É pessoal e intransferível e apenas você pode definir seu propósito pessoal.

Para que fique mais claro cito aqui o meu próprio, que consegui definir apenas depois de uma estada de alguns dias em um mosteiro para pensar (algo que recomendo a todos): “Ouvir com atenção, entender com emoção e ajudar com o coração, para que as pessoas possam dar o seu melhor”.

Depois do propósito das pessoas vem o de um grupo de pessoas, visto que uma empresa, em sua síntese mais simples, nada mais seria do que um grupo de pessoas que trabalha junto, em prol de um resultado comum. Utópico imaginar que poderíamos unir os propósitos de todos para chegar a um, mas bastante plausível entender que o propósito da empresa deva ser algo que se conecte com principais desejos de seus colaboradores e gestores, além de seu mercado foco (lembrando que o mercado, embora muitas vezes formado por empresas, tem sempre as pessoas em seu cerne).

Penso que a melhor forma de se definir o propósito de uma empresa seja reunir os colaboradores e gestores e discutir aberta e claramente o assunto. Há que se entender os desejos e anseios, como cada um pensa e o que lhe satisfaz, para buscar traduzir isso em uma frase, que não será apenas um quadro afixado à parede, mas tenderá a ser tatuada nas mentes de todos. Mas, essa frase tem que ser transformada em prática, permeando tudo o que a empresa fizer, de forma que, em muito pouco tempo, sequer precisará estar escrita, será vivenciada por todos.

É um trabalho bem duro, devo admitir, mas que também traz grandes recompensas, pois uma empresa cujo propósito esteja claro e relacionado aos de seus colaboradores e clientes, terá equipes muito mais engajadas e comprometidas, além de clientes que pensem bem além dos preços de seus produtos.

Sidney Porto
CEO da Gerencial Brasil

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas