Resiliência: a chave para superar obstáculos

Resiliência é uma qualidade que se modifica no tempo em função da experiência e dos aprendizados da pessoa, podendo ser treinada e potencializada

Segundo o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, “aquilo que não nos mata, nos torna mais forte”.

A perda do emprego, uma doença, o fim inesperado de um relacionamento, os fracassos e as dificuldades em geral que enfrentamos no decorrer da vida, podem desequilibrar o interior das pessoas e deixá-las inseguras frente às incertezas da realidade.

Mas então, o que faz com que o ser humano consiga confirmar as palavras de Nietzsche? O que permite ao ser humano se adaptar e superar as adversidades? Podemos responder essas perguntas resumindo-as a uma qualidade chamada resiliência, que é a capacidade de superar com autoconfiança os obstáculos pelo caminho, mantendo a motivação e o foco.

A resiliência é então a capacidade de permanecer motivado e persistir na busca dos próprios objetivos mesmo diante de problemas, frustrações, eventos negativos e estressantes. É uma qualidade que se modifica no tempo em função da experiência e dos aprendizados da pessoa, podendo ser treinada e potencializada. Para isso, é possível identificar quatro aspectos de atitude que caracterizam as pessoas resilientes:

Comprometimento: a pessoa se envolve com as atividades, é proativa e não se assusta com o trabalho. Tem objetivos pelos quais acreditar e lutar. Nos momentos de interferências, recupera o foco rapidamente.

Autodomínio: o indivíduo tem certeza da própria influência e responsabilidade nos resultados da sua vida. Cria estratégias e ações para atuar na realidade de maneira flexível.

Aceitar os desafios: aceitar e abraçar as mudanças, encarando-as como incentivos para crescer. Os desafios são algo que estimula e motiva, e não algo ameaçador.

Bom humor: ter consciência das próprias atitudes e manter o bom humor e o otimismo diante da vida reduz o estresse e influencia positivamente no íntimo e no ambiente em que a pessoa vive

Essas qualidades podem ser cultivadas e encorajadas, pois elas pressupõem pensamentos, comportamentos e ações que podem ser treinados por qualquer pessoa, uma vez que a essência dos seres humanos é a resiliência e não a fragilidade. A resiliência é uma qualidade treinada no decorrer da história da evolução humana pela luta e pela sobrevivência a guerras, fome, doenças, desastres naturais e outras inúmeras dificuldades.

Ampliando essa visão, o conceito de resiliência não se aplica só ao individuo, mas também à coletividade e, assim, podemos falar de famílias, escolas, empresas e organizações resilientes, na qual a capacidade de se adaptar às mudanças sociais, aprender, se reinventar e superar os problemas, está sempre presente.

Ser resiliente não significa que nunca irá experimentar as dificuldades, o estresse e as tristezas da vida. Ser resiliente é estar aberto às mudanças e admitir que se pode errar, mas também se pode corrigir a direção e se reinventar quando necessário, criando hábitos mentais úteis para interpretar os eventos limitantes, momentâneos e circunscritos, motivando-se a persistir no caminho sem perder a esperança.

 

Eduardo Shinyashiki

Presidente da Sociedade Cre Ser Treinamentos
Especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

Gestor

Paulo de Vasconcellos Filho, 67 anos, atua como Consultor há 43 anos orientando processos de Planejamento Estratégico em 378 empresas de pequeno, médio e grande porte, que atuam nos mais diversos setores. Publicou seis livros sobre Planejamento Estratégico, sendo o primeiro em 1979 e o mais recente publicado pela Editora Campus, com o título “Construindo Estratégias para Vencer!”

Receba nossas novidades

Estratégias que merecem destaque

Registre-se aqui para receber em seu e-mail nossas novidades.

Patrocinadores

Temas

Fechar Menu